Reserva do Arvoredo está próxima de se tornar parque com campanha # RecategorizaArvoredo

Reserva do Arvoredo está próxima de se tornar parque com campanha # RecategorizaArvoredo

admin admin 04/09/2021 0 Comments News

Há quase 20 anos, o arquipélago que abriga a maior parte da Ilha do Arvoredo, além das ilhas de Galé, Deserta, Calhau de São Pedrão e uma grande área marinha de mais de 17 mil hectares de superfície foi transformado em Reserva Biológica Federal sem qualquer estudo ou consulta a comunidade. Isso é, desde então, sua visitação está proibida. Agora, com a campanha # RecategorizaArvoredo, o arquipélago pode ser recategorizado como um Parque Nacional Marinho, assim como Fernando de Noronha e Abrolhos, por exemplo. Saiba o que isso quer dizer para a preservação ambiental e o turismo ecológico no litoral catarinense.

 

Como é a Reserva Biológica Marinha do Arvoredo atualmente?

A Reserva Biológica Marinha do Arvoredo é uma Unidade de Conservação Federal situada no litoral centro-norte de Santa Catarina. Sua área compreende os municípios de Florianópolis, Governador Celso Ramos, Tijucas, Bombinhas, Porto Belo e Itapema. São 17,6 mil hectares de superfície e 54,8 km de perímetro. No seu interior, abriga as ilhas do Arvoredo, Galé e Deserta, além do Calhau de São Pedro (dois aglomerados rochosos).

A visitação dessa área, no entanto, é gerenciada e monitorada pela Força Armada Marinha do Brasil. Está proibida a entrada de embarcações de turismo, pesca ou transporte no interior da reserva. As únicas exceções são embarcações de pesquisa e monitoramento. Todas devem ter sua entrada previamente protocolada e autorizada pelas Forças Armadas.

Isso significa que até mesmo passeios para mergulho contemplativo (que não geram impactos ambientais negativos) estão proibidos desde que a área se tornou reserva. A única exceção para esta regra é a porção sul da Ilha do Arvoredo, que tem seu território situado fora dos limites da reserva e, portanto, é destino de todas as operadoras de mergulho que realizam expedições para a área.

 

Mas afinal, por que a área foi categorizada como reserva e qual a sua história?

 

A história da Reserva Biológica Federal Marinha do Arvoredo

Em 12 de março de 1990,  através do Decreto N° 99.142 e regulamentada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), o Governo Federal transformou essa área em Unidade de Conservação Federal. 

O intuito dessa mudança, é claro, tinha a melhor das boas intenções: garantir a preservação integral dessa importante área de reprodução de espécies marinhas. Além disso, servir como uma amostra representativa dos ecossistemas da região costeira ao norte da ilha de Santa Catarina, suas ilhas e ilhotas, águas e plataforma continental, com todos os recursos naturais associados, sem interferência humana direta ou modificações ambientais.

O que aconteceu com o passar do tempo, no entanto, não foi bem isso. Nos últimos anos o número de casos de pesca ilegal e mergulhos irregulares no Arvoredo têm aumentado consideravelmente. É com base nessas ocorrências que surgiu a iniciativa de recategorizar a reserva.

 

Por que a Reserva do Arvoredo deve se tornar um Parque Nacional?

A recategorização do Arvoredo pode gerar impactos positivos importantíssimos para a preservação do arquipélago. Ao contrário de uma Reserva Biológica Federal, em um Parque Nacional Marinho está permitida a entrada de expedições de operadoras de mergulho devidamente credenciadas. E os instrutores e mergulhadores se tornam muito mais do que só apreciadores: eles passam a integrar a equipe de monitoramento e preservação dessas áreas, identificando atividades irregulares como a pesca ilegal e colaborando com a limpeza de resíduos que infelizmente chegam até o local.

Além disso, este é o único modo de garantir que o público possa visitar o arquipélago de maneira legal. E a visitação do destino para mergulhos contemplativos impacta diretamente na conscientização ambiental da população de modo geral.

Por fim, a recategorização do Arvoredo ainda é um grande benefício para o turismo ecológico de todo o litoral catarinense. Operadoras de mergulho credenciadas vão poder voltar a operar no arquipélago, fomentando o turismo ecológico e os mergulhos contemplativos na região.

 

Campanha # RecategorizaArvoredo

Há anos esse é um movimento defendido pelas escolas e operadoras de mergulho de Bombinhas, Governador Celso Ramos e Florianópolis. No último ano ganhou ainda mais forças depois de ser abraçado pelos prefeitos dos municípios e alguns deputados estaduais. Confira em detalhes:

 

 

Na próxima semana, está marcada a primeira audiência pública com o intuito de debater a recategorização do Arvoredo. A reunião é pública e virtual. Acesse por todos por meio de um link divulgado pelas operadoras de mergulho de Bombinhas.

 

Participe e acompanhe!

 

Nós, da Pousada Villa Maciel, apoiamos a campanha # RecategorizaArvoredo. Valorizamos as riquezas naturais da nossa região e fomentamos iniciativas com o intuito de preservar o meio ambiente e promover turismo de maneira sustentável.

 

Saiba mais sobre a # RecategorizaArvoredo utilizando a hashtag nas redes sociais.

 

Campanha # RecategorizaArvoredo busca tornar arquipélago um Parque Nacional Marinho. Foto: divulgação.

 

E você, o que acha da iniciativa? Deixa pra gente nos comentários.

0 Comments

Leave your reply